quarta-feira, 23 de maio de 2012

Cientistas anunciam descoberta de Planeta habitável

Cientistas anunciam descoberta de Planeta habitável

Astrônomos da Nasa (agência espacial americana) confirmaram nesta segunda-feira a existência de um planeta com características similares à da Terra, em uma 'zona habitável', girando em torno de uma estrela ainda desconhecida.

O Kepler 22-b tem 2,4 vezes o tamanho da Terra e está situado a 600 anos luz de distância. A temperatura média da superfície é de 22º C.

Ainda não se sabe a composição do Kepler 22-b, se é feito de rochas, gás ou líquido. O planeta já é chamado de 'Terra 2.0' pelos cientistas da Nasa.

Durante a coletiva de imprensa, em Moffet Field, na Califórnia, a astrônoma Natalie Batalha disse que os cientistas ainda investigam a possibilidade de existência de mais 1.094 planetas, alguns deles em zonas 'habitáveis'.

Descoberta

A descoberta do novo planeta foi feita a partir das imagens do telescópio espacial Kepler, projetado para observar uma faixa fixa do céu noturno que compreende até 150 mil estrelas.

O telescópio é sensível o suficiente para ver quando um planeta passa na frente da estrela em torno da qual gira, escurecendo parte da luz da estrela.

As sombras são então investigadas a partir da imagem de outros telescópios até que a Nasa confirme se tratam-se ou não de novos planetas.

O Kepler 22-b foi um dos 54 casos apontados pela Nasa em fevereiro e o primeiro a ser formalmente identificado como um planeta.

Outros planetas habitáveis podem ser anunciados no futuro, já que há outros locais com características potencialmente similares à da Terra.

Água líquida

A distância que separa o Kleper 22-b da estrela ao redor da qual gira é 15% menor que aquela entre a Terra e o Sol.

Apesar de estar mais próximo da estrela, esta emite cerca de 25% menos luz em comparação ao sol, o que permite ao Kleper 22-b manter sua temperatura em um patamar compatível à existência de água líquida, ainda não confirmada.

O Kepler 22-b tem um raio 2,4 vezes maior que o da terra.

Uma outra equipe de cientistas do Seti (busca por inteligência artificial, na sigla em inglês) agora procura indícios de vida no planeta, como confirmou o diretor do instituto, Jill Tarter.

'Assim que encontremos algo diferente, separado, um exemplo independente de vida em outro lugar, vamos saber que isso (vida) é onipresente no universo', disse Tarter.

BBC Brasil 

terça-feira, 22 de maio de 2012

Piloto de avião diz que viu OVNIs e registrou aparição em fotos


Um piloto de avião disse que tem certeza que os habitantes da Terra não estão sozinhos depois que fotografou um objeto voador não identificado (OVNI) no céu de Minas Gerais. Dois pontos brilhantes foram vistos às 15h30 do dia 24 de abril deste ano em Ipatinga, região Leste do Estado. Era um dia de sol forte e mesmo assim o autor das imagens conseguiu registrar  os clarões. Quando ele deu zoom na câmera mais um mistério: um dos pontos desapareceu.

A identidade do homem que fez as fotos não será revelada. Ele é piloto há 17 anos e fazia o trajeto de Governador Valadares a Belo Horizonte.

Quatro dias antes um objeto brilhante, com cores avermelhadas, foi visto cortando o céu da capital. Um registro foi feito e postado na internet.

O piloto enviou os arquivos para o Instituto Tecnológico de Aeronáutica em São José dos Campos, interior de São Paulo, mas já tem sua opinião formada

Do Estado de Minas

segunda-feira, 21 de maio de 2012

sábado, 19 de maio de 2012

OVNI ou farsa? Imagem mostra objeto orbitando próximo ao sol

 
(Fonte da imagem: Reprodução/Live Science)
De acordo com o site Live Science, a sonda espacial SOHO da NASA capturou uma imagem que pôs em alerta a comunidade caçadora de OVNIs. A fotografia em questão mostra um objeto metálico com um braço gigantesco, que se parece a uma nave espacial e está orbitando próximo ao sol.
Embora o avistamento tenha rapidamente se transformado em um dos principais tópicos em blogs e fóruns de discussão sobre o tema, cientistas do Laboratório de Pesquisas Navais dos Estados Unidos (NRL) analisaram as imagens e negaram a possibilidade de que se trate de uma nave alienígena.
Segundo os cientistas, a espaçonave não passa de uma coleção de listras luminosas produzidas por raios cósmicos que passaram rapidamente pelo sensor da câmera no momento em que a imagem estava sendo registrada.

                    “Eu quero acreditar”


Nome da imagem
De acordo com Nathan Rich, do NRL, conforme um raio cósmico passa pelos sensores da câmera, este deposita uma grande quantidade de sua carga elétrica sobre o pixel atingido por ele e, dependendo o ângulo com o qual o raio incide sobre o sensor, vários pixels acabam afetados, criando imagens como a publicada pela NASA.
A probabilidade de que as câmeras aqui da Terra registrem imagens desse tipo é muito pequena, já que estamos protegidos dos raios cósmicos pela magnetosfera, que impede que esses raios cheguem à superfície do nosso planeta.
Fonte: Live Science.


Leia mais em: http://www.tecmundo.com.br/mega-curioso/22772-ovni-ou-farsa-imagem-mostra-objeto-orbitando-proximo-ao-sol.htm#ixzz1vKlYQ2Nf

sexta-feira, 18 de maio de 2012

NASA | Evolução da Lua

Novo foguete Falcon 9 parte sábado com destino à Estação Espacial



A empresa SpaceX de tecnologia espacial confirmou que o foguete Falcon 9 está pronto para ser disparado e levar a primeira espaçonave privada Dragon até a Estação Espacial. O lançamento ocorre neste sábado e será retransmitido ao vivo pelo ApoloChannel.O plano inicial da missão será levar a cápsula Dragon em segurança até as proximidades da ISS, Estação Espacial Internacional e ali realizar uma série de manobras com o objetivo de verificar a capacidade e precisão da operação. Somente se estes testes forem bem sucedidos é que a nave será autorizada a se aproximar do complexo orbital para ser agarrada pelo braço robótico da Estação.A SpaceX é uma empresa privada com sede na cidade de Hawthorne, na Califórnia e foi escolhida e patrocinada pela Nasa para desenvolver e gerenciar o provável substituto para os ônibus espaciais, retirados de operação em 2011. Todas as etapas envolvidas na missão, desde a construção dos foguetes e cápsulas até o lançamento e controle foram desenvolvidas pela própria empresa, que conta com assessoria total da Nasa.Em 2010, a SpaceX realizou uma série de testes bem sucedidos com o foguete Falcon 9 e a cápsula Dragon e de acordo com os engenheiros, quando em operação a nave poderá transportar até 6 toneladas de materiais à ISS, além de mais quatro astronautas. Apostando nessa capacidade, em 2008 a Nasa assinou um contrato de 12 anos com a Space X, no valor total de US$ 1,6 bilhão.Falcon 9O Falcon 9 é um foguete de dois estágios e 54 metros de altura, alimentado por dez motores Merlin, nove deles no primeiro estágio. Após disparado, o primeiro estágio é capaz de fornecer ao engenho um empuxo de 510 toneladas durante 255 segundos. Alguns segundos depois da queima entra em operação o segundo estágio, fornecendo ao sistema mais 45 toneladas de empuxo durante 345 segundos. Todos os propulsores utilizam uma mistura de oxigênio líquido (LOX) e querosene refinada (RP-1).A cápsula Dragon, de 4.200 quilos, segue no topo do Falcon 9 e está abastecida com equipamentos e suprimentos que deverão ser levados até a ISS.Ao custo de US$ 45 milhões cada lançamento, até hoje a SpaceX só disparou dois foguetes Falcon 9, ambos com sucesso.O lançamento do foguete Falcon 9 ocorrerá às 05h55 da manhã de sábado a partir da base de lançamentos de Cabo Canaveral, na Flórida e será transmitido ao vivo peloApoloChannel , que retransmite a Nasa-TV. Fique ligado. Fonte : http://www.apolo11.com/spacenews.php?titulo=Novo_foguete_Falcon_9_parte_sabado_com_destino_a_Estacao_Espacial&posic=dat_20120518-091907.inc

quinta-feira, 17 de maio de 2012






Do G1, em São Paulo



O Observatório Europeu do Sul (ESO), projeto que conta com participação brasileira, publicou nesta quarta-feira (16) imagem que mostra a galáxia Centaurus.


De acordo com o ESO, a fotografia foi feita com mais de 50 horas de exposição e é, provavelmente, a imagem mais profunda já criada do aglomerado estelar.


Captada pelo telescópio MPG/ESO, instalado no Chile, a Centaurus A situa-se a 12 milhões de anos-luz de distância na constelação do Centauro. O brilho que enche a maior parte da imagem vem de estrelas velhas e frias.


O observatório informou ainda que astrônomos afirmam que o núcleo brilhante, a forte emissão de rádio e os jatos da Centaurus A são produzidos por um buraco negro central, com uma massa de cerca de 100 milhões de vezes a massa do Sol.


A galáxia foi inicialmente documentada pelo astrônomo britânico James Dunlop no Observatório Parramalta na Austrália, a 4 de Agosto de 1826. Esta galáxia é frequentemente chamada Centaurus A porque foi a primeira fonte principal de ondas rádio descoberta na constelação do Centauro nos anos 1950.


magem divulgada pelo ESO mostra galáxia Centaurus A. (Foto: ESO)

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Fim de semana tem anular eclipse do Sol no hemisfério norte

Apesar do eclipse solar total ser o mais raro e aguardado fenômeno desse tipo, o eclipse do tipo anular não fica atrás e é para alguns, até mais belo. E neste domingo teremos esse tipo de eclipse em que a posição da Lua não o cobrirá totalmente e deixará o Sol com um belo anel ao seu redor.


O eclipse anular desse domingo será visível em uma faixa com largura média de 270 km que vai desde o leste asiático e oeste dos EUA, cruzando todo o oceano Pacífico. O Brasil estará de fora do espetáculo.

O eclipse terá início no sul da China às 22:06 UTC (19:06 BRT), com a sombra do Sol percorrendo 13600 km do planeta de leste para oeste durante 3h30m.

A capital japonesa Tóquio será uma das áreas urbanas mais favorecidas do mundo a presenciar o fenômeno. A cidade tem 10 milhões de pessoas e se localiza a apenas 10 km ao norte do centro da linha principal da sombra. Isso permitirá uma observação completa do fenômeno por quase cinco minutos. Redding, na Califórnia, se localiza a 30 quilometres ao sul do centro da linha. Ali, os habitantes verão o fenômeno por cerca de 4m30s a partir da 01:26 UTC (22h26 BRT).

O ponto máximo do evento ocorrerá exatamente às 20:52:47 BRT (23:52:47 UTC) sob as coordenadas 49.05 N e 176.16 E, ao sul das ilhas Aleutas, no Pacífico norte. Observadores da região poderão ver o eclipse anular durante 5m46, com o Sol a 61 graus de elevação.





O eclipse anular de 2012 ocorre um dia depois do apogeu da Lua, quando nosso satélite se encontra na posição mais distante da Terra. Por estar mais longe, o disco lunar estará 6% menor que o disco solar e não cobrirá a estrela totalmente. Isso fará com que uma espécie de "anel de fogo" seja visto ao redor do Sol, o que torna o espetáculo ainda mais belo.

No Brasil

No Brasil, o próximo eclipse solar ocorrerá no ano de 2023 e poderá ser visto dos estados do Norte e do Nordeste. Na ocasião o eclipse será igual a esse, do tipo anular, quando um anel solar permanecerá visível em torno da Lua. Eclipse total mesmo, com o Sol completamente bloqueado, só em 2045.

Eclipse Solar

Um eclipse do Sol ocorre sempre que a Lua se posiciona entre a Terra e o Sol. Se durante um eclipse a lua encobrisse completamente o disco do Sol, seria chamado de eclipse total. Caso contrário, eclipse parcial.




Se durante um eclipse total a Lua estiver próxima de seu apogeu (maior afastamento da Terra), seu diâmetro aparente parecerá menor que o do Sol e por não cobrir todo o disco, parte do Sol ainda permanecerá visível em forma de anel, daí o nome "anular" para este tipo de eclipse. Anular significa "em forma de anel"

Planeta leva um ano e meio para regenerar recursos consumidos anualmente

Relatório da Ong ambientalista WWF mostra que houve declínio de 30% da vida selvagem mundial desde 1970
A crescente população mundial e o consumismo ameaçam a saúde do planeta, alerta a organização ambientalista Fundo Mundial para a Natureza (WWF). A demanda por recursos naturais se tornou insustentável e exerce uma pressão "tremenda" sobre a biodiversidade do planeta, destaca a organização em um estudo publicado nesta terça-feira (15).


O relatório Planeta Vivo ('Living Planet Report') destaca que com o atual ritmo de consumo, "leva 1,5 ano para a Terra regenerar os recursos renováveis consumidos pelos seres humanos e absorver os resíduos de CO2 que eles produzem a cada ano". O Relatório Planeta Vivo foi produzido pelo WWF em parceria com o ZSL e a Global Footprint Network.

terça-feira, 15 de maio de 2012

Quanta água existe no planeta?

A imagem acima é uma ilustração feita pelo pesquisador Jack Cook, do Woods Hole Oceanographic Institution, um instituto de pesquisas do Estados Unidos sobre oceanos. O pesquisador calculou a quantidade de água existente em toda a Terra (seja na superfície, no subsolo, oceanos e icebergs e até nos organismos dos seres vivos). Se toda essa água fosse reunida em uma esfera, ela teria 860 milhas de diâmetro, ocupando a área entre os estados americanos de Utah ao Kansas – um volume total de 1.386 milhões de quilômetros cúbicos. Um quilômetro cúbico de água equivale a nada menos que 264 bilhões de galões de água.
É muita água (apesar de parecer apenas uma pequena bolinha na imagem), mas é bom lembrar que cerca de 96% dessa água é salgada ou não-potável. A preocupação com a água já apareceu aqui no Blog do Planeta: na semana passada, publicamos uma entrevista com o mergulhador e ambientalista Jean Michel Cousteau, que explica como estamos usando os oceanos como esgoto. Em março, durante o Fórum Mundial da Água, a grande questão era se haverá água para todos em um futuro com 9 bilhões de pessoas.

Foto: Illustration by Jack Cook, Woods Hole Oceanographic Institution; USGS

quarta-feira, 9 de maio de 2012

.A FARSA DO AQUECIMENTO GLOBAL

A FARSA DO AQUECIMENTO GLOBAL

Parte 1
Parte 2

Parte 3

Parte 4

Parte 5

Parte 6

Parte 7


E agora acreditam que tudo que ouvimos falar e mentira e que nada passa de uma teoria sem comprovação.


sábado, 5 de maio de 2012

Prepare-se: Fim de semana tem Lua cheia. Muito cheia mesmo!


Se você acha que a Lua cheia é sempre igual, então prepare-se, pois a Lua cheia deste sábado terá algo de especial. Ela se parecerá bem maior que o de costume e apesar de não ser possível ver a marca da bota de Neil Armstrong deixada lá em 1969, o espetáculo é único e vale a pena dar uma olhada.



O motivo da Lua parecer maior neste sábado (e domingo também) não é nenhuma ilusão de ótica. Isso vai acontecer por que nosso satélite estará pelo menos 50 mil quilômetros mais perto de nós e dará a impressão de ser 15% maior que o normal. Com esse tamanho todo a Lua brilhará 30% mais forte.
Isso acontece porque a Lua não gira ao redor da Terra em um círculo perfeito e sim em uma elipse achatada, fazendo com que o astro ora fique mais perto, ora mais longe da Terra. A maior aproximação vai ocorrer às 23h33 pelo horário de Brasília e quando isso acontecer a Lua estará a exatos 356.955 km de distância da Terra, no chamado perigeu.
Se você não lembra, no ano passado a distância mínima foi ainda menor e o astro ficou a apenas 356.577 km do nosso planeta.






Da mesma forma que a órbita achatada da Lua a trás regularmente para perto de nós, no dia 28 de novembro ocorrerá exatamente o oposto. A Lua estará no apogeu e teremos a menor lua cheia do ano.

Marés
Durante o período de maior aproximação são observadas as conhecidas marés de perigeu, quando a atração gravitacional da Lua "puxa" as águas do oceano alguns centímetros a mais que o normal. Dependendo da geografia local esse efeito pode produzir elevações oceânicas que em alguns casos podem chegar a 15 centímetros, provocando algumas instabilidades. No entanto, nada disso causará transtornos, portanto não é preciso ficar preocupado e sair correndo!

Tamanho Aparente
Por razões ainda não perfeitamente compreendidas e explicadas por astrônomos ou neurocientistas, a Lua ou Sol quando vistos próximos ao horizonte e rodeados de árvores e prédios parecem maiores que o normal. A explicação mais comum é fato de não existir nenhuma referência que nos permita estimar distâncias quando olhamos para cima de nossas cabeças, uma vez que temos a ilusão de que a abóbada celeste não é uma semiesfera, mas uma calota achada no zênite.
Por outro lado, o céu no horizonte nos parece muito mais afastado. Quando olhamos para o horizonte nossos olhos contemplam os campos, bosques, montanhas, prédios e colinas e isso nos permite fazer comparações de distâncias e afastamentos, tornando os astros próximos ao horizonte aparentemente maiores. Essa ilusão é tão real que o próprio azul, nuvens, constelações, estrelas e planetas parecem incrustados na abóbada celeste.
Apesar de ser essa a explicação formal e também a mais aceita pelos pesquisadores, ela ainda é alvo de estudos por parte dos neurocientistas, que buscam compreender melhor como nosso cérebro funciona.